quinta-feira, 11 de agosto de 2011

O saque


o saque

podemos dizer dos muros que foram derrubados
só porque não os vemos?
ou porque tu e eu os ignoramos ?
ou porque simplesmente já não existem?
ou porque já não os desejamos
no silêncio das nossas omissões e cobardias?
a nossa força não provém da opressão
mas da liberdade
as verdades mudam com as fomes
ou as pragas
ou as mentiras
ou as feridas
ou as violações
(as próprias guerras nada mudam para além das mentiras)
vivemos rodeados de quotidianas verdades
mas a verdade
a derradeira verdade
é a que te liberta
e que te consome
totalmente

2 comentários:

  1. Caro Daniel.
    Estive à conversa com o Rogério Rodrigues (que é um pedaço desajeitado nestas coisas da bloga...)e pediu-me para lhe dar, a si, as coordenadas dele, Rogério, de modo a poder conversar consigo: coisas de poesia, e de poetas,e de... creio eu...
    O telémovel do Rogério: 963468114;
    O Email do Rogério: rogrodster@gmail.com
    Abraço,
    Albergaria

    ResponderExcluir
  2. Gostei deste poema e vou publica-lo no meu blog (voarforadaasa) pena é não ter a fotografia do poeta.Obrigado.

    ResponderExcluir