sexta-feira, 6 de março de 2009

A morte não existe



A morte é a entrada noutros modos de relação e por isso não existe.

Spinoza


Que dizer deste espaço absoluto , esta inquietante espera de algo que se adivinha ? Uma caixa entreaberta onde jaz um pequeno corpo , inerte e frio , um olhar que não sabemos se de angústia , se de dúvida, se de descrença ?

Que pensa esta mulher, que adivinhamos ser a mãe da criança ?

Serão de revolta os seus pensamentos ? de impotência ? de medo ? de piedade ? de conformismo ? de desânimo ? de confusão? que emoções lhe conformarão este momento ? que palavras se lhe secam na garganta ? que gritos calará ?

Não há definição nem estado que se possa aqui identificar.

Tudo o que se pode dizer permanece no vazio . Num devir de outras emoções . Um momento que já não é significante ou uma luz que se reacende com outro reflexo. Um eu diferente.

Tenho uma ideia sobre a morte. A morte não existe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário